Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
PREFEITURA MUNICIPAL DE DRACENA
Previsão do Tempo
Manual Prático para Arborização Urbana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dracena/SP


 

MANUAL PRÁTICO PARA ARBORIZAÇÃO URBANA

 

-   Este manual tem por finalidade reconhecer o papel da arborização em beneficio de todos e do meio ambiente, conscientizando da necessidade de uma arborização urbana de uma maneira simples e correta.

 

-   A arborização é importante para a qualidade de vida humana.

 

-     Ela age nas funções físicas e mentais do homem, desempenhando funções vitais para a saúde.

 

-   As árvores purificam o ar, aumentam a umidade do ar, diminuem a temperatura, absorvem os ruídos, sequestram o carbono, combatem as ilhas de calor, entre outros serviços ambientais.

 

-     Arborização urbana envolve aspectos sociais, econômicos e ambientais da nossa cidade; portanto uma cidade bem planejada na arborização é benefícios para todos.

 

-    Sendo assim, este manual é uma ferramenta para consulta da população de Dracena, pois apresenta de forma prática e correta procedimentos e técnicas para o planejamento, execução e manutenção da arborização urbana do município.

 

 

PORQUE ARBORIZAR?

 

-    As arvores possuem a capacidade de absorver 1,4 kg de poluentes evitando uma serie de doenças respiratórias. Estudos mostram que uma arborização bem planejada economiza com a saúde da população.

 

-    As doenças sociais tais como Suicídio, Homicídios diminuem e conforme estudos realizados a Pressão Arterial, Diabetes, Colesterol, Estresse, Irritabilidade também diminuem com arborização adequada de nossa cidade e a expectativa de vida aumenta.

 

-    Como as árvores absorvem os ruídos, a qualidade do sono, poder de concentração e de desenvolvimento de trabalhos manuais ou intelectuais também melhora, consequentemente melhorando a qualidade de vida.

 

-      A árvore transpira aproximadamente 0,3 litros de água por metro cúbico de copa e portanto uma árvore de grande porte (mais de 10 metros de altura) possui em média 120 de copa, deste modo, chega a transpirar 400 litros de água por dia. Isso equivale a 5 aparelhos de condicionador de ar ligados as 24 horas do dia.

 

-     A recomendação pela Organização Mundial de Saúde são 12m²/habitante de floresta.

 

-    Os benefícios da arborização urbana são mais proveitosos quando bem planejados, e para isso, é necessário considerar alguns aspectos relevantes. É preciso levar em conta a infraestrutura urbana, seus equipamentos e serviços de forma que a arborização esteja em harmonia com: o trânsito de veículos e pedestres, a rede de energia elétrica, a iluminação pública, as redes subterrâneas (água, esgoto, gás, etc.), os afastamentos prediais e a legislação do município. (Lei nº. 3738 de 29 de Dezembro de 2.009 – que dispões sobre o plano de arborização urbana, Código de Postura – Lei Complementar nº. 50 de 17 de Outubro de 1.995) e a norma ABNT – NBR 16246-1 que trata de “Florestas Urbanas – Manejo de arvores e arbustos e outras plantas lenhosas”.

 

Para um plantio correto é importante observar os seguintes apontamentos: COMO PLANTAR?

-      Para os parques e canteiros centrais de avenidas, por exemplo, podemos utilizar árvores de todos os portes. No entanto, a arborização de calçadas prescinde de cuidados especiais, desde a escolha da espécie até seu plantio e manutenção.


 

Tabela 1. Medidas a observar na arborização urbana.

 

 

Parâmetros

 

Medida (m)

 

Recuo mínimo das mudas em relação ao meio fio

 

0,50

 

Distância mínima entre a árvore e a entrada da garagem

 

1,00

 

Vão livre entre a copa das árvores e a rede de baixa tensão

 

1,00

 

Pontos de ônibus

 

1,00

 

Encanamento de água e esgoto e fiação subterrânea

 

2,00

 

Caixa de inspeção e bocas-de-lobo

 

2,00

 

Vão livre entre a copa das árvores e a rede de alta tensão

 

2,00

 

Hidrantes

 

3,00

 

Altura máxima das árvores de pequeno porte

 

4,00

 

Postes com transformadores

 

4,00

 

Altura máxima das árvores de médio porte

 

6,00

Distância mínima entre as árvores de pequeno porte e as placas de sinalização

 

5,00

Distância mínima entre as árvores de médio porte e as placas de

sinalização

 

7,00

 

Distância mínima das esquinas

 

7,00

 

Cruzamentos sinalizado com semáforos

 

10,00

Fonte: Manual de arborização, 1996; Ambiente Brasil, 2008.

 

 

- A época ideal para plantar árvores é no início das chuvas. Entretanto, as mudas bem cuidadas no viveiro e a atenção adequada durante o transporte permitem que elas sejam plantadas  em qualquer época do ano, desde que haja água suficiente disponível após o plantio. Em qualquer situação, o tratamento adequado durante o plantio é essencial para garantir um futuro saudável para as novas árvores.

 

·         O primeiro passo após a escolha correta da muda de árvore a ser plantada é fazer o coveamento que deverá ter dimensões de no mínimo 0,60 X 0,60 X 0,60 m.

·         Deve ser aberta de modo que a muda fique centralizada, prevendo a manutenção da faixa de passagem de no mínimo 1,20 m; atendimento a norma de acessibilidade NBR 9050 atualizada de 2017.

 

 

 

 

·         O solo de preenchimento da cova deve estar livre de entulho e lixo, sendo que o solo inadequado - compactado, subsolo, ou com excesso de entulho deve ser substituído por outro com constituição, porosidade, estrutura e permeabilidade adequadas ao bom desenvolvimento da muda plantada.

·         A muda deve ser retirada da embalagem com cuidado e apenas no momento do plantio.


 

 

 

muda deve ficar no nível da superfície do solo.


·       O colo

da


·         A muda deve ser amparada por tutor, quando necessário, fixando-se a ele por amarrio de sisal ou similar, em forma de oito deitados (Vide foto abaixo), permitindo, porém, certa mobilidade.

·         A muda deve ser irrigada até sua completa consolidação.


Foto /Fonte:www.plantandovidawordpress.com                                                                                                                                             Muda de magnólia-amarela ( Michelia champaca) com um tutor de bambu.

 

-   NA  DUVIDA  PROCURE                                                                    SEMPRE    OS    TECNICOS    DA

SECRETARIA                  DE                                                                   AGRICULTURA          E         MEIO AMBIENTE.

 

DESENHO ESQUEMÁTICO – PLANTIO:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE – MAUAL DE ARBORIZAÇÃO RGE - Rio Grande Energia S/A

 

 

 

 

 

CRIME AMBIENTAL?

 

Cuidado com a Poda de árvores, ela pode ser considerada “Crime Ambiental”!

 

A Lei Federal nº 9.605, de 13 de Fevereiro de 1.998 –Trata dos Crimes Ambientais.


 

 

Em seu Artigo 49 – Destruir, danificar, lesar ou maltratar, por qualquer modo ou meio, plantas de ornamentação de Logradouros Públicos (das calçadas, das praças, das áreas verdes) ou em propriedade privada alheia:

 

-   É Crime Ambiental.

 

O Município possui Lei de Arborização – Lei nº3738 de 2009 “Dispõe sobre plano de arborização urbana do município de Dracena e dá outras providências”.

 

Portanto a realização de podas das árvores da cidade deve ter AUTORIZAÇÃO específica dos Técnicos Habilitados da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente aos quais são solicitadas na própria Secretaria – (Recinto da Fapidra – Fone – (18) 3821 – 6337); devemos consultar e seguir a Norma ABNT 16 246 - 1 (Associação Brasileira de Normas Técnicas) sobre FLORESTAS URBANAS – MANEJO DE ÁRVORES, ARBUSTOS E OUTRAS PLANTAS LENHOSAS.

 

 

COMO PODAR?

 

 

A primeira regra para uma boa poda é remover os galhos quebrados ou adoentados. Um galho contaminado propagará a doença para a árvore inteira. Podas normais podem ser efetuadas em qualquer época, mas há vantagens em se fazer no início da Primavera, pouco antes de surgirem os novos rebentos. Nesta época do ano, os lugares cortados começarão a cicatrizar imediatamente.

 

Para algumas espécies de árvores floríferas, como os ipês, a poda na primavera não é aconselhável, pois isso eliminaria suas gemas florais, portanto pode-as depois da floração.

 

QUAIS SÃO AS FERRAMENTEAS APROPRIADAS PARA PODAS?

 

 

Para ser bem sucedida, a poda depende do uso de ferramentas apropriadas. Os galhos que não têm mais do que 2 cm de diâmetro podem ser cortados com uma tesoura de poda comum, já os galhos um pouco mais grossos necessitam de uma tesoura de poda de cabo comprido ou um serrotinho especial.

 

Corrija as irregularidades da superfície do corte com uma lâmina afiada ou canivete de poda, que tem a lâmina em forma de gancho. Cortes maiores de 2,5 cm de diâmetro precisam receber uma aplicação de fungicida.

 

Para se aparar os galhos altos, que não se alcançam do chão ou de uma escadinha, existem ferramentas especiais, montadas em cabos de extensão. Galhos altos de até 2,5 cm de diâmetro podem ser removidos com dispositivo chamado podador de vara, ao passo que para os mais grossos é necessário usar uma serra montada numa vara.

Você deve efetuar a poda tendo em vista três objetivos básicos: dar um formato à árvore: aflorar a beleza natural da espécie e reforçar sua estrutura. Antes de fazer qualquer corte, procure visualizar a aparência da árvore adulta. Procure podar apenas os galhos laterais e irregulares para realçar a forma básica da árvore.

A modelação de qualquer tipo de árvore exige a poda dos brotos que nascem em sua base ou ao longo dos galhos mais baixos. A existência de dois ou mais troncos competidores torna a árvore vulnerável aos ventos. Mais acima do tronco, escolha quais os galhos que formarão as pernadas principais; alguns galhos laterais têm um crescimento exagerado, procure encurtá-los, mas verifique cuidadosamente se existem brotos antes de fazerem os cortes.

 

Feito isto, corte o galho no ponto além do broto mais afastado. No topo da árvore, convém encurtar todos os galhos verticais, menos o central, ou o ponteiro.


 

 

Natural mente existem exceções para as regras apontadas, dependendo sempre das características de cada espécie.

Qualquer que seja a poda, uma regra deve ser observada: corte sempre rente ao tronco ou galho principal, não deixando nenhum toco.

 

 

PORQUE PLANEJAR?

 

A arborização planejada e bem conduzida trazem benefícios aos habitantes de nossa cidade; portanto arborização urbana e as florestas urbanas valorizam os aspetos ambientais, paisagísticos e patrimoniais proporcionados pelas arvores, espaços verdes e pelas florestas urbanas.

 

O planejamento da arborização deve passar pela gestão pública. O órgão gestor da arborização deve trabalhar em acordo com políticas publicas comprometida com um manejo que reconheça não somente a importância da presença das árvores na cidade, mas que efetivamente respalde as práticas necessárias à sua boa implantação, manutenção e condução.

 

 

 

 


Fonte : Companhia Energética de Minas Gerais. Manual de arborização.

Belo Horizonte: Cemig / Fundação Biodiversitas, 2011.

 

 

Devemos sempre ter em mente: ÁRVORE CERTA NO LUGAR CERTO?


 

 

QUAIS

MUDAS DEVEM SER USADAS NA ARBORIZAÇÃO URBANA?

 

A produção da muda é um dos fatores mais importantes para o sucesso da arborização urbana; devemos utilizar mudas de boa qualidade, compatíveis com o local a ser plantada e

com as características abaixo:

 

 

 

·         Mudas com boa arquitetura

·         Isentas de pragas e doenças

·         Ter no mínimo 1,80 metros de altura do fuste

·         Mudas adaptadas a nossa região e/ou nativas da região

·         Tolerantes a poluição

·         Não tóxicas

·         Importantes para fauna

·         Facilidade de condução e manutenção.

·         Crescimento rápido a médio para gerar sombreamento

·         DAP (Diâmetro a Altura do Peito – 1,30 metros de altura) de no mínimo 0,03 metros.

·         Evitar espécimes que possuem espinhos ou acúleos.

·         Evitar espécies que produzem frutos grandes que possam danificar veículos ou ferir pessoas.

·         Procurar evitar o plantio destas espécies exóticas na arborização. Resolução SMA - 33, de 22-5-2009 Dispõe sobre a criação de Grupo de Trabalho para o desenvolvimento de proposta para “Estratégia Estadual sobre Espécies Exóticas

Invasoras”.

·         Dar preferência para espécies do Bioma Mata Atlântica.

·         Espécies indicadas conforme o IPEF /ESALQ (2009).

·         O Município de Dracena dispõem de Viveiro de Mudas, antes de plantar consulte os Técnicos da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Manual de Arborização Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig


 

 

 

 

Responsável Técnico:

 


 

Engº Agrº- JAIRO CORRÊA AUGUSTO DA SILVA.

MBA – Gestão Ambiental R.G :14.181.115-8-SSP/SP CREASP/SP-0040051680/7

 

Equipe Técnica Responsável:

 


 

Engº Ambiental- CAIO CORREA DE BRITO R.G: 43.210.136-6

CREASP/SP-5069560193

 


 

Bióloga- ARIELEN PATRICIA B. CASAGRANDE POZZA R.G:43.029.881-x

CrBio- 089572/01-D

 


 

Estagiaria- MAÍRA MACHADO SCALIANTE R.G: 41.288.577-3

Estagiaria do curso de Engenharia Agronômica pela FCAT-Unesp Dracena

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

 

-    LORENZI, H. Árvores Brasileiras: Manual de Identificação e cultivo de plantas nativas do brasil. Nova Odessa: Editora Plantarun Ltda. 1974. 951p.

-   Manual de orientação para aprovação de projetos habitacionais /Secretaria da Habitação do Estado de São Paulo – São Paulo, 2011. 128p

-    VEIGAS, A.C; JUNIOR, O. H.L. Guia de Arborização ELEKTRO Eletricidade S.A.R.R.Donnlley América Latina .2002. 28 p.

-   Manual Técnico de Arborização Urbana – da Prefeitura da Cidade de São Paulo. Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, 1999 – Proposta de normas técnicas de implantação de arborização em vias públicas. Diário Oficial do Município, São Paulo, vol. 96. p. 74-75.

-   ABNT NBR 9050 Segunda edição 31.05.200

-   Prefeitura Municipal. Plan

o Diretor de Arborização Urbana de Goiânia. Goiânia, sd. 134 p.

-   GONÇALVES, E.O.; PAIVA, H.N.; GONÇALVES, W.; JACOVINE, L.A.G. - - Avaliação qualitativa de mudas destinadas à arborização urbana no estado de Minas Gerais.R. Árvore, Viçosa-MG, v. 28, n.4, p.479- 486, 2004.

-   GREY, G.W. & DENEKE, F.J. Urban Forestry. New York, John Wiley and Sons, 1978. p. 154-73.

-            HANSEN,      C.K.      Não      é      doença      geralmente      a      causa      de      árvores      insalubres. http://easttexasgardening.tamu.edu/Homegardens/treestress.html.


- Plano Diretor

do Município de Dracena /SP e Lei Municipal de Arborização Urbana nº. 3738 de 21 de Dezembro de 2009 – Dispõe sobre plano de arborização urbana do município de dracena e dá outras providências.

Data: 24-04-2018 15:42:00